12 janeiro 2005

Viagens...

Situação 1: um ministro português desloca-se a um país estrangeiro, para assinar acordos de cooperação, aproveitando ainda para iniciar negociações para a exploração de gás por uma empresa pública portuguesa. Portanto, representando tanto os interesses económicos do país e das empresas públicas estatais (que se poderá reflectir no crescimento da empresa e, consequentemente, no aumento do número de trabalhadores, fomentando assim o emprego) como as acções de cooperação com outros países da Lusofonia. Para esta viagem, leva um número moderado de acompanhantes. Num intervalo de trabalho, a convite do governo do país em que se encontra, como é costume em tais viagens, dá uns mergulhos.

Situação 2: um Presidente da República leva uma comitiva de mais de 200 pessoas (a maior de sempre!) a passear na China, numa iniciativa que visa promover o intercâmbio comercial (que, como é costume, é deficitário para as nossas exportações e benéfico para as importações… os chineses é que deviam cá vir!). Aproveita para ir à televisão chinesa, dizer umas tretas sobre o desenvolvimento de Portugal, o papel dele, PR, nesse desenvolvimento, etc etc.

Qual é a polémica, afinal?

Rita Sacadura Fonseca