21 março 2005

Depois do post do Diogo e do da Beatriz, não pude deixar de ir ler o blog O Idealista, para me integrar no que estava a ser dito.

Confesso que me fez alguma confusão o tipo de estéreotipo feito relativamente à Direita em Portugal, porque cada vez mais é dicil fazer esta distinção entre Direita e Esquerda.(mas também porque não concordo com quase nada) e para além disso está simplificada de mais.

O que acontece na minha opinião nem se quer é uma Direita incoerente, simplesmente já não é fechada, ou seja, enquanto que antigamente os partidos de Direita ou Esquerda, eram partidos fechados, limitados, hoje em dia, pelo menos os de Direita, porque os de Esquerda são suspeitos, já não são ideológicamente fechados o que é muito positivo na minha opinião, pois nos tempos que correm devemos manter uma Direita que seja atenta à actualidade, podendo responder a todo o tipo de problemas, sem por isso perder os seus valores e as suas ideias, mas podendo, no entanto ir renovando, reformando sem causar danos de nível ideológico, sem revolucionar.

Direita e Esquerda são conceitos muito abrangentes, que por vezes se podem até confundir com o facto de se ser liberal ou não, mas que na minha opinião, ser liberal não é condição para se ser de Esquerda.

Sim, porque também há malta de Direita que é liberal. Claro que também depende, do que é SER LIBERAL!

Somos CONSERVADORES dos valores, isso sim!!

Concordo com Maquiavel, quando disse que todos os meios justificam os fins, logo acredito, que não se trata de ser de Esquerda ou de Direita, mas sim, o que é mais eficaz para o nosso país e o que é melhor para nós. (óbvio que o respeito e os valores para mim são importantes, não podemos confundir maquiavelismo com oportunismo).

Mary