30 maio 2005

Constituição Europeia II

Constituição Europeia II

Com o Não Francês outros se seguirão.

Talvez agora os burocratas europeus percebam que não é possível continuar a levar a união para longe da vontade dos cidadãos.

Como disse o Sr. Nuno Rogeiro está na hora de repensar as instituições europeias. Estas devem ser tornadas mais transparentes, menos burocráticas e mais dependentes da vontade dos cidadãos.

A primeira coisa a rever deverá ser a constituição, simplificando-a e limpando várias ambiguidades, clarificando-a ou substituindo-a pelo velho e fiável método de um tratado de cada vez, dando pequenos, mas seguros, passos na direcção de uma europa unida.

E descansem os acérrimos defensores do sim, que isto não será o fim do mundo, nem da união europeia. E não julguem que se vai lá com novos referendos sobre a mesma pergunta, até obterem o resultado desejado. Faz parte da democracia, sofrer certas decepções, quando a nossa vontade é diferente da da maioria. Esperemos que estes saibam humildemente perceber isto mesmo.