17 junho 2005

Opiniões

Caro Diogo,
Não podia estar mais em desacordo com os teus dois últimos posts.

Em primeiro lugar, discordo de um parágrafo indigno do restante post e ainda mais de um militante do PP, quando dizes: "Admito que, apesar da popularidade da protagonista, seja muito difícil ser eleita Presidente da Câmara, dada a dimensão do CDS-PP, mas Lisboa terá muito a ganhar em tê-la como vereadora". É assim que pretendes convecer os leitores do nosso blog, que são muitos, e os restantes lisboetas a votar na nossa candidata? Ainda para mais, depois de já ter havido tanta polémica à volta da sua nomeação tardia, sabes, aquela história da não-coligação.
Devias reflectir um pouco mais sobre as consequências dos teus actos, não te parece?
Acho deplorável!
As vitórias conquistam-se, não se oferecem! E raramente os vencedores têm dimensão para tal. Simplesmente acreditam e lutam pelo seu objectivo com todas as suas forças, até ao momento decisivo, que separa os vencedores dos vencidos. E depois há os vencidos à partida, tristes derrotados, conformados, que nunca hão-de chegar a lado nenhum. Antes de um vencedor passar pelo seu momento decisivo, não passa de uma pessoa normal, como o resto de nós, simplesmente acredita mais, trabalha mais do que os restantes!

Em Segundo, falar de presidenciais, agora? Achas que temos poucos assuntos para tratar de momento? Questão Europeia? Autárquicas?
Não me digas que és daqueles que acredita que a campanha eleitoral não serve para nada e que os candidatos devem ser predestinados? Eu por acaso sou desses, mas pela simples razão de que acredito na monarquia, que nos serviu durante 900 anos, muito melhor que esta república das bananas nos últimos 90. Mas não pensando na monarquia que permanece graças ao PSD inconstitucional, é por este desprezo pelos momentos adequados de apresentação de candidaturas e de fazer campanha, e por estas predestinações republicanas que os portugueses cada vez menos acreditam na democracia participativa, afinal, se o que têm a dizer não interessa, por já estar tudo predestinado, para quê votar, certo?
Queixaste de que "as Presidenciais é já daqui a 7 meses". Já ??? 7 meses?? Autárquicas?? Constituição Europeia?? Sete meses - 7 x 30 = 210 dias ?? Pretendes alterar a lei, para que os prazos de apresentação de candidaturas e campanha se alarguem para 200 dias?
Por favor! Respeito pela democracia, pelos seus cidadãos e pelos momentos adequados.

Haja Bom Senso!