25 janeiro 2007

Grande "Treta"vista

Que a qualidade do jornalismo português está pelas ruas da amargura, julgo que já ninguém tem dúvidas,
Agora, o que a RTP fez esta noite não se faz, muito menos na televisão de suposto serviço público!

Ora na chamada Grande Entrevista, moderada pela jornalista Judite de Sousa, foi entrevistada esta noite uma personalidade portuguesa de grande relevo e por quem todos os portugueses, mesmo os menos católicos de todos, têm um grande respeito: SE. D. José Policarpo, Cardeal Patriarca de Lisboa.

O conceito da entrevista chamou-me a atenção, pelo elevado interesse e pertinência, que era o de entrevistar o representante máximo da Igreja Católica em Portugal sobre o futuro referendo à liberalização do aborto e todas as diversas reacções que o mesmo tem provocado na sociedade do nosso país. Sendo que a Igreja Católica é em Portugal o maior pilar de defesa da vida.

Eis-senão-quando a exemplo do que tem feito no infâmio prós-e-contras, a jornalista Judite de Sousa esmerou-se nesta entrevista, conseguindo atingir um novo nível, o da sub-cave da qualidade do jornalismo em Portugal, ao constantemente interromper os bem fundamentados e estructurados pontos de vista do Senhor Patriarca, de cada vez que iniciava um raciocínio coerente em resposta às perguntas feitas; ao fazer perguntas pouco concisas e incluindo o seu ponto de vista, ou tentando levar o Senhor D. José a dizer o contrário do que defende, ou quando o mesmo já tinha percebido o teor da pergunta e tentava responder, repetidamente, não se calava para deixar ouvir o entrevistado, quem interessa ouvir falar numa entrevista.

Em suma, um exemplo de má-educação, falta de respeito, péssimo jornalismo, procura de protagonismo, parcialidade,...
Uma entrevista pouco profunda, frouxa e pouco ou nada esclaredora, roçando o desinteressante.
Enfim, um arquétipo do actual jornalismo em Portugal!

E o resultado de tudo isto, é que não consegui ficar a saber nenhum dos interessantes pontos de vista do Sr. Cardeal Patriarca até ao fim, que muito poderiam ter contribuido para o debate em curso na sociedade portuguesa, nem assisti a um exemplo de boa cortesia nem boa educação nem bom jornalismo, pelo contrário fiquei envergonhado por ser possível que tais escandâlos tenham lugar na televisão pública, que é de todos nós, com títulos ponposos apenas relacionados com a qualidade pelo inverso.

Jornalistas de Portugal, tenham vergonha!
RTP tenham pena de nós e substituam essa cabeça de cartaz que é a senhora Judite de Sousa por uma jornalista séria, que eu quero acreditar que ainda existam em Portugal, muito embora talvez no desemprego!

24 janeiro 2007

Nogueira Pinto preocupada com situação da CML

A vereadora do CDS-PP Maria José Nogueira Pinto teme que situações como as buscas realizadas hoje pela Polícia Judiciária (PJ) a edifícios camarários, no âmbito da investigação ao processo do Parque Mayer, possam condenar o mandato.
"A minha maior preocupação é podermos estar perante um mandato condenado, do ponto de vista do seu proveito, do grau de realização", disse à Lusa Maria José Nogueira Pinto.
O presidente da Câmara de Lisboa, Carmona Rodrigues (PSD), confirmou hoje aos jornalistas a realização de buscas pela PJ ao edifício dos Paços do Concelho, Campo Grande, onde funcionam os departamentos de Urbanismo e Finanças, e ao edifício da EPUL, empresa pública de urbanização de Lisboa.
Em causa está uma investigação sobre a permuta, aprovada no início de 2005, entre os terrenos privados do Parque Mayer, propriedade da Bragaparques, e parte dos terrenos municipais da Feira Popular, em Entrecampos.
Depois, a Bragaparques adquiriu em hasta pública a parte restante dos terrenos de Entrecampos, passando a deter a totalidade da área antigamente ocupada pela Feira Popular, exercendo um "direito de preferência", num negócio muito contestado pela oposição.
"Desde o início deste mandato que tem havido um sucessão de factos e acontecimentos que têm levantado um grau de suspeição que, do ponto de vista externo, denigre muito a imagem da Câmara", considerou Maria José Nogueira Pinto.
Para a vereadora democrata-cristã, "o clima que se instalou é muito negativo para a cidade, em primeiro lugar, e, em segundo lugar, para todos os verea dores que eleitos que querem fazer alguma coisa de útil".
"A própria Câmara, enquanto máquina operativa, pode ressentir-se muito" , disse.

Notícia LUSA

Sessão de Esclarecimento sobre o Aborto

09 janeiro 2007

Orgulho em ser da JP

Num momento em que o CDS vive um período conturbado, com a Direcção a apontar baterias ao líder parlamentar, é bom sentirmos que há motivo para ter orgulho em sermos da JP e do CDS.
Ontem foi um desses momentos: a excepcional prestação de João Almeida no programa Prós e Contras, no meio dos fraquíssimos líderes das restantes Jotas! Enquanto todos falavam do que está mal, João Almeida chamou a atenção para aquilo que os jovens fazem de bom e pediu que seja dada LIBERDADE à juventude. Liberdade de escolher, na educação, na saúde, no emprego, na segurança social, entre outros aspectos. Liberdade de dizer o que pensa e assim influenciar a escolha política dos governantes. Falou de esperança, de confiança e de mudança. No fundo o que caracteriza uma juventude que não é instalada!